Rádio Lusitana

Rádio Lusitana

Faixa Atual

Título

Artista

verão de 2023: um novo recorde de incêndios de vegetação?

Escrito por em 13 de junho, 2023

 

Editpress

Editpress

A poucos dias do início do verão e do provável regresso das temperaturas escaldantes, o risco de incêndios na vegetação já está a ser tomado em consideração. Eis como o Luxemburgo tenciona fazer face a esta situação.

2022 foi um ano recorde para os incêndios de vegetação no Luxemburgo: foram registados cerca de 150, principalmente, como deve ter adivinhado, durante o período de verão. Muito mais do que os 30 incêndios registados em 2021 e os 80 em 2020. De acordo com informações recolhidas, 22 incêndios de vegetação já eclodiram este ano de 2023, embora a primavera ainda não tenha terminado. "Pequenos incêndios de vegetação", acrescenta o CGDIS, mas mesmo assim.

A perspetiva de uma vaga de calor este verão já é preocupante na Europa e, por extensão, no Grão-Ducado. Aqui, como em todo o lado, quanto mais quente e seco for o tempo, maior é a probabilidade de a vegetação se incendiar e maior é a probabilidade de os incêndios se propagarem. 90% dos incêndios são de origem humana e mais de metade são causados por pontas de cigarro, churrascos, máquinas agrícolas, etc. Para fazer face ao problema, a CGDIS está já a renovar as medidas que serão testadas em 2022.

Criação de uma equipa de peritos

"Todos os bombeiros do país receberam formação contínua sobre incêndios em vegetação", afirmam os serviços de emergência. O Luxemburgo também investiu em equipamentos específicos "estrategicamente posicionados em todo o país". Foi efetuada uma análise cartográfica detalhada dos riscos, bem como o acompanhamento dos alertas nos países vizinhos e a criação de uma equipa de peritos. É este o ponto da situação, a poucas semanas do início oficial do verão.

Embora o risco continue a ser elevado e seja necessário sensibilizar as pessoas para esse facto, o perigo é, no entanto, limitado pela configuração do país, observa o CGDIS. Não se fala de incêndios florestais propriamente ditos. Por isso, os bombeiros luxemburgueses também estão preparados para intervir no estrangeiro. "É perfeitamente possível dar uma ajuda nas zonas fronteiriças", se necessário. Na segunda-feira, Meurthe-et-Moselle e Meuse foram colocadas sob alerta laranja devido ao risco de incêndios.

Por outro lado, é "altamente improvável" que os serviços de salvamento luxemburgueses sejam enviados para o Sul da Europa ou para os Estados Unidos, por exemplo, uma vez que o Luxemburgo ainda não oferece especificamente um "módulo de incêndios florestais" no âmbito do mecanismo europeu de proteção civil.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



Rádio Lusitana

Rádio Lusitana

Faixa Atual

Título

Artista

erro: © Conteúdo protegido, todos os direitos reservados.